Sunday, 22 de May de 2022

Porto de Cotegipe, na Bahia, contará com ampliação e melhorias no processo de exportação de soja

O Porto de Cotegipe, na Bahia, receberá uma ampliação na sua área para melhorar a exportação de soja e a movimentação de carga no local, além de novos empreendimentos

O Porto de Cotegipe, na Bahia, receberá uma ampliação na sua área para melhorar a exportação de soja e a movimentação de carga no local, além de novos empreendimentos

Durante esta última quinta-feira, (20/01), a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME) aprovou o projeto de ampliação do Porto de Cotegipe, na Bahia. Assim, o local contará com melhorias na infraestrutura para a exportação de soja e movimentação de carga no geral, bem como investimentos e empreendimentos para novas operações no porto.

Confira outras notícias do setor:

Ministério da Economia aprova ampliação de cerca de 35% do Porto de Cotegipe para melhorias na infraestrutura portuária e empreendimentos locais

O Porto de Cotegipe foi bastante beneficiado nesta semana e a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME) concedeu autorização ao Terminal para utilizar a área em águas públicas de domínio da União em Salvador (BA), local onde será implantado aterro hidráulico e construído o Berço 3 de atração do terminal. Assim, o local contará com um projeto de expansão de cerca de 35%, visando melhorias na movimentação de carga. 

A Secretária de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, Fabiana Rodopoulos, comentou acerca da decisão de expandir a área do Porto de Cotegipe e da importância para o local, afirmando também que “a cessão das áreas federais é uma das importantes fases de legalização, junto à União, dos projetos portuários. Ao lado dos contratos de adesão, firmados pelo Ministério da Infraestrutura, a cessão dos bens da União traz a segurança jurídica necessária para que o setor privado invista nos projetos de infraestrutura”.

Além disso, a cessão realizada é de uso onerosa e é referente a uma área total de 48.800,73 m², localizada na estrada da Base Naval de Aratu, São Tomé de Paripe, em Salvador. A partir da assinatura do contrato, o berço de atracação do terminal deverá ser entregue em cerca de 4 anos, um período pequeno para os benefícios que o projeto trará depois que estiver finalizado. 

Além de novos empreendimentos, exportação de soja e movimentação de outras cargas serão beneficiados com projeto de expansão do Porto de Cotegipe

Toda a soja produzida na região do cerrado do estado da Bahia é escoada por meio do Porto de Cotegipe e, com a ampliação de cerca de 35% da área do porto, essa movimentação de carga será fortemente beneficiada, principalmente se tratando da exportação desse produto. Dessa forma, o principal objetivo do Ministério da Economia com a concessão da expansão do porto é atrair novos investimentos para o local e expandir ainda mais a movimentação de carga e a exportação de soja, que já é um grande destaque no complexo

Assim, o superintendente do Patrimônio da União na Bahia, Abelardo Filho, ressalta a relevância dessa expansão para a movimentação de carga no local e como beneficiará o porto, destacando que “o terminal é de suma importância para a cadeia produtiva do agronegócio, principalmente devido à sua localização estratégica. Ele está mais perto da Europa, por exemplo, conferindo-lhe vantagem competitiva em relação aos portos das regiões Sudeste e Sul do Brasil, reduzindo os custos de exportação desta importante cadeia produtiva”.

Por fim, o Terminal Portuário Cotegipe deverá apresentar todos os licenciamentos, autorizações, documentos e alvarás necessários ao funcionamento da estrutura náutica. Assim, o que se espera agora é que o Ministério da Economia possa seguir com o projeto de expansão e que o terminal possa expandir as suas operações com as melhorias na infraestrutura que serão realizadas durante os próximos anos com o projeto. 

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.
Load more