Início Docas do Rio e Sindipráticos RJ criam parceria para cooperação técnica no monitoramento de tráfego aquaviário nos Portos do Rio de Janeiro e Itaguaí

Docas do Rio e Sindipráticos RJ criam parceria para cooperação técnica no monitoramento de tráfego aquaviário nos Portos do Rio de Janeiro e Itaguaí

abril 7, 2022 às 10:01 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Os portos do Rio de Janeiro e Itaguaí agora passarão a ter um sistema melhorado de monitoramento do tráfego aquaviário, após o acordo de cooperação técnica entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ
Os portos do Rio de Janeiro e Itaguaí agora passarão a ter um sistema melhorado de monitoramento do tráfego aquaviário, após o acordo de cooperação técnica entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ. Fonte: Divulgação

Os portos do Rio de Janeiro e Itaguaí agora passarão a ter um sistema melhorado de monitoramento do tráfego aquaviário, após o acordo de cooperação técnica entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ

Durante essa última terça-feira, (05/04), a Companhia Docas do Rio de Janeiro e o Sindicato dos Portos e Terminais Marítimos do Estado do Rio de Janeiro (Sindipráticos RJ) anunciaram um acordo de cooperação técnica nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí para o desenvolvimento de melhorias no monitoramento do tráfego aquaviário das operações que ocorrem nos locais.

Leia também:

Cooperação técnica entre Docas do Rio e Sindipráticos RJ irá garantir mais eficiência no monitoramento do tráfego aquaviário nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí

A Companhia Docas do Rio de Janeiro e o Sindipráticos RJ finalmente finalizaram as tratativas necessárias para a assinatura do acordo de cooperação técnica que estava previsto há alguns meses entre a companhia e anunciaram a parceria nesta última terça-feira. Essa é uma forma de garantir uma logística mais eficiente e segura dentro das operações portuárias no estado do Rio de Janeiro ao longo dos próximos anos de parceria entre os órgãos. 

Assim, o acordo de cooperação técnica prevê melhorias no monitoramento do tráfego aquaviário dos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, como forma de garantir mais segurança nas operações de movimentação de carga e uma eficiência ainda maior no controle das atividades. O principal objetivo do acordo é o apoio mútuo para ativação do serviço de atalaias em emergência nas dependências dos Local Port Services (LPS) a serem instalados nas gerências de acesso aquaviário dos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí.

Além disso, a assinatura do acordo entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ também prevê o guarnecimento dos LPS dos dois portos na atalaia do Rio de Janeiro, caso haja a ocorrência de avarias ou danos similares nas dependências da Docas do Rio, para garantir mais segurança nesses possíveis cenários. Esse acordo é de extrema importância para o funcionamento dos portos, uma vez que uma eventual interrupção do funcionamento dos Centros de Controle Operacional do Rio e de Itaguaí causaria sérios riscos à segurança da navegação e à gestão do tráfego aquaviário, sendo essencial manter essa segurança nos piores cenários. 

Representantes da Docas do Rio destacam importância do acordo de cooperação técnica para o monitoramento do tráfego aquaviário nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí

Os problemas com o controle do tráfego aquaviário dentro dos portos brasileiros ainda são bastante presentes no dia a dia desse segmento e, com o desenvolvimento dessa parceria, a Docas do Rio garante uma segurança maior quanto a isso. Assim, o monitoramento do tráfego aquaviário nos Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí será beneficiado em razão da eficiência maior no controle de segurança dessas operações. 

Com isso, Marcelo Villas-Bôas, responsável pela condução do processo na Docas do Rio e gestor de na companhia VTMIS, comenta que “Com essa parceria, poderemos viabilizar, ainda neste ano, a ativação do LPS nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, possibilitando que a autoridade portuária aperfeiçoe o monitoramento do tráfego aquaviário dos portos que administra em sinergia com a praticagem”. Já o presidente do Sindipráticos, Marcello Rodrigues Camarinha, afirma que “a necessidade de guarnecimento ininterrupto do serviço de praticagem nos faz buscar o máximo de eficiência quando se trata não só do profissional mas também dos serviços de apoio ao prático. Ou seja, atalaias e lanchas”.

Por fim, o acordo ainda prevê o compartilhamento dos dados do Sistemas de Monitoramento Ambiental (SMA) e dos Sistemas de Identificação Automática (AIS) de embarcações para garantir novos olhares dentro da segurança de monitoramento portuário.

Relacionados
Mais recentes