Sunday, 22 de May de 2022

Docas do Rio e Sindipráticos RJ criam parceria para cooperação técnica no monitoramento de tráfego aquaviário nos Portos do Rio de Janeiro e Itaguaí

Os portos do Rio de Janeiro e Itaguaí agora passarão a ter um sistema melhorado de monitoramento do tráfego aquaviário, após o acordo de cooperação técnica entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ

Os portos do Rio de Janeiro e Itaguaí agora passarão a ter um sistema melhorado de monitoramento do tráfego aquaviário, após o acordo de cooperação técnica entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ

Durante essa última terça-feira, (05/04), a Companhia Docas do Rio de Janeiro e o Sindicato dos Portos e Terminais Marítimos do Estado do Rio de Janeiro (Sindipráticos RJ) anunciaram um acordo de cooperação técnica nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí para o desenvolvimento de melhorias no monitoramento do tráfego aquaviário das operações que ocorrem nos locais.

Leia também:

Cooperação técnica entre Docas do Rio e Sindipráticos RJ irá garantir mais eficiência no monitoramento do tráfego aquaviário nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí

A Companhia Docas do Rio de Janeiro e o Sindipráticos RJ finalmente finalizaram as tratativas necessárias para a assinatura do acordo de cooperação técnica que estava previsto há alguns meses entre a companhia e anunciaram a parceria nesta última terça-feira. Essa é uma forma de garantir uma logística mais eficiente e segura dentro das operações portuárias no estado do Rio de Janeiro ao longo dos próximos anos de parceria entre os órgãos. 

Assim, o acordo de cooperação técnica prevê melhorias no monitoramento do tráfego aquaviário dos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, como forma de garantir mais segurança nas operações de movimentação de carga e uma eficiência ainda maior no controle das atividades. O principal objetivo do acordo é o apoio mútuo para ativação do serviço de atalaias em emergência nas dependências dos Local Port Services (LPS) a serem instalados nas gerências de acesso aquaviário dos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí.

Além disso, a assinatura do acordo entre a Docas do Rio e o Sindipráticos RJ também prevê o guarnecimento dos LPS dos dois portos na atalaia do Rio de Janeiro, caso haja a ocorrência de avarias ou danos similares nas dependências da Docas do Rio, para garantir mais segurança nesses possíveis cenários. Esse acordo é de extrema importância para o funcionamento dos portos, uma vez que uma eventual interrupção do funcionamento dos Centros de Controle Operacional do Rio e de Itaguaí causaria sérios riscos à segurança da navegação e à gestão do tráfego aquaviário, sendo essencial manter essa segurança nos piores cenários. 

Representantes da Docas do Rio destacam importância do acordo de cooperação técnica para o monitoramento do tráfego aquaviário nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí

Os problemas com o controle do tráfego aquaviário dentro dos portos brasileiros ainda são bastante presentes no dia a dia desse segmento e, com o desenvolvimento dessa parceria, a Docas do Rio garante uma segurança maior quanto a isso. Assim, o monitoramento do tráfego aquaviário nos Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí será beneficiado em razão da eficiência maior no controle de segurança dessas operações. 

Com isso, Marcelo Villas-Bôas, responsável pela condução do processo na Docas do Rio e gestor de na companhia VTMIS, comenta que “Com essa parceria, poderemos viabilizar, ainda neste ano, a ativação do LPS nos portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, possibilitando que a autoridade portuária aperfeiçoe o monitoramento do tráfego aquaviário dos portos que administra em sinergia com a praticagem”. Já o presidente do Sindipráticos, Marcello Rodrigues Camarinha, afirma que “a necessidade de guarnecimento ininterrupto do serviço de praticagem nos faz buscar o máximo de eficiência quando se trata não só do profissional mas também dos serviços de apoio ao prático. Ou seja, atalaias e lanchas”.

Por fim, o acordo ainda prevê o compartilhamento dos dados do Sistemas de Monitoramento Ambiental (SMA) e dos Sistemas de Identificação Automática (AIS) de embarcações para garantir novos olhares dentro da segurança de monitoramento portuário.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.
Load more