Início Conheça quais são os 06 principais portos brasileiros e qual a sua importância para o cenário econômico

Conheça quais são os 06 principais portos brasileiros e qual a sua importância para o cenário econômico

julho 17, 2020 às 10:15 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Portos brasileiros
Ilustração de todos os portos brasileiros

Quer saber quais são os principais portos brasileiros? O Brasil possui um total de 175 instalações portuárias de carga, incluindo portos e terminais marítimos e instalações aquaviárias.

A infraestrutura portuária brasileira é bastante desenvolvida, com importantes instalações dos mais diversificados tamanhos e objetivos, movimentando milhares de toneladas de carga anualmente, mas classificar os principais portos brasileiros em termos de sua importância não é tarefa simples, pois, para tanto, é necessário definir os critérios a serem levados em conta, como volume e valor movimentado e área de influência, entre outros. Temos portos ao longo da nossa costa e no interior do país utilizando nossas extensas bacias hidrográficas.

Pode não parecer, mas existem 76 terminais no interior, fora da costa litorânea. Destes terminais, são 18 na Região Sul, 6 na Região Centro-Oeste e 52 na Região Norte.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
Google News Google News

Sendo assim, listaremos a seguir 10 dos mais significativos portos brasileiro, destacando sua localização e principais setores de atividades atendidos nas operações de exportação e importação. Se você trabalha com logística, transportes ou comércio exterior, continue lendo este artigo, pois, certamente, ele será muito útil em sua profissão.

Os principais portos brasileiros

Na lista que segue, apontaremos o estado onde se localiza o porto (o município já consta em seu nome) e os principais setores econômicos que utilizam suas instalações nas negociações comerciais com outros países. Todos operam com produtos diversificados, sendo alguns de maior relevância em termos de volume de carga e valores transacionados.

1 – PORTO DE PARANAGUÁ

O porto de Paranaguá vem na segunda colocação neste ano de 2019, fica localizado no Paraná, ele é um porto bastante grande e com uma densa área de influência de 10 estados brasileiros que colaboram nas transações internacionais.

O porto de Paranaguá também é de extrema importância para os trânsitos comerciais que são responsáveis por boa parte das movimentações do Comércio Internacional.

A movimentação do Porto de Paranaguá, apesar de englobar 13 setores de atividade econômica, existem 5 em que ele se centraliza e possui maior destaque: agroindústria e madeira, material de transporte, alimentos e bebidas, indústria química e indústria mecânica. 

2 –  PORTO DE ITAPOÁ

O Porto Itapoá está localizado no município de Itapoá, estado de Santa Catarina, Brasil.

Localizado entre duas das principais áreas industriais do Sul do Brasil – a região Norte de Santa Catarina e a região metropolitana de Curitiba –, o Porto Itapoá tornou-se um destino portuário preferencial de muitas indústrias.

Entre os segmentos movimentados no terminal, destaque para proteínas animais e derivados, motores e equipamentos elétricos, madeira, cerâmica, papel, produtos químicos, peças para automóveis, automóveis, plásticos e derivados – destinados aos principais polos mundiais, sobretudo Ásia, América do Norte e Europa.

O terminal também exporta cargas do vizinho Paraguai, como madeira e frango. No ano de 2019 passou pelo porto 6.634.871 toneladas de produtos, um crescimento de cerca de 11% em comparação ao ano anterior.

 3 – PORTO DO RIO DE JANEIRO (RJ)

Porto do Rio de Janeiro é um porto regional considerado de grande porte. Ele serve a 22 estados e sua área de influência abrange quatro unidades da federação. Os produtos operados pelo Porto do Rio de Janeiro são bastante diversificados abrangendo especialmente produtos originários da indústria de transformação, ou seja, produtos com maior valor agregado por unidade de produto movimentado, cerca de US$ 1.278,20/t.

Ainda segundo à IPEA, no movimento internacional de produtos o valor transacionado por esse porto alcançou os US$ 12,18 bilhões em 2007. Ferro fundido, ferro e aço são os mais representativos da pauta, totalizando exportações no valor de US$ 2,54 bilhões, em 2007. O principal produto exportado foi ferroligas, com US$ 882,41 milhões, dos quais US$ 853,79 milhões, originários de Minas Gerais.

Em 2010, chegaram à conclusão de que quatorze setores de atividade são operados por intermédio dele e cinco se destacam com movimentação superior a US$ 1,0 bilhão: metalurgia (US$ 3,47 bilhões); material de transporte (US$ 2,04 bilhões); indústria química (US$ 1,45 bilhão); produtos minerais (US$ 1,24 bilhão); e indústria mecânica (US$ 1,18 bilhão). Dessa forma, fica claro que o Porto do Rio de Janeiro possui uma grande importância para o setor automotivo por movimentar veículos e partes referentes a eles.

 4 – PORTO DE ITAJAÍ (SC)

Porto de Itajaí é um porto regional que era considerado um porto de médio porte antes de 2007; entretanto, de 2003 a 2007, houve uma grande expansão do porto com um aumento de 30,3% produtos movimentados (cerca de US$ 10,0 milhões).

Sua área de influência foi ampliada em mais dois estados, sendo o Mato Grosso do Sul, como hinterlândia primária, e Rondônia, como hinterlândia terciária. Isso o fez subir da categoria de médio para a de porto de grande porte. Trata-se do segundo porto brasileiro com maior valor agregado médio dos produtos movimentados, com US$ 1.847,97/t, em 2007.

Ele serviu 22 estados da federação no ano de 2007, sendo eles: Santa Catarina (US$ 6,07 bilhões e 60,2% do comércio exterior do estado), Mato Grosso do Sul (US$ 117,66 milhões e 10,8%), Rondônia (59,5% de seu comércio internacional). Além dessas, ainda possui relações com o Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e o Acre.

5 – PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL (SC)

Porto de São Francisco do Sul é um porto local e de grande porte e apresenta um alto valor agregado das cargas transacionadas, com a média de US$ 585,56/t. 23 unidades federativas utilizam esse porto para transações internacionais e sua área de influência abrange quatro estados: Paraná (movimenta cerca de 14,6% do comércio internacional paranaense); Santa Catarina (23,5% de seu comércio exterior); Mato Grosso; e Bahia.

Apesar do valor movimentado, suas atividades estão concentradas em um nicho específico: apenas dois setores, sendo eles: agroindústria e madeira; e produtos minerais. Em 2007, essas trocas mundiais totalizaram mais de US$ 1,0 bilhão.

Os seus principais produtos exportados são: soja, milho e tabaco não manufaturado. Grande parte desses produtos é originária de Santa Catarina. Em 2007, um único produto representou 89% das importações do porto: os óleos brutos de petróleo, com US$ 1,68 bilhão que inteiramente destinado ao estado do Paraná.

6 – PORTO DE ARATU (BA)

Porto de Aratu é considerado um porto local e de grande porte. Mesmo que o Porto de Aratu atenda ao Pólo Petroquímico de Camaçari, ele possui predominantemente características locais.

Sua área de influência é, principalmente, no estado baiano (como hinterlândia primária) e o estado de São Paulo (hinterlândia secundária); além desses, mais 6 unidades federativas que também utilizam esse porto para transações internacionais. Essas transações comerciais estão concentradas nos setores de produtos mineiras; indústria química e material de transporte. Isso mostra que o porto baiano transaciona produtos com alto valor agregado sendo, em média, US$ 767,26/t.

Ainda falando dos produtos que passam em Aratu, seu produtos de exportação estão entre óleos de petróleo ou de minerais betuminosos, veículos para transporte de passageiros e produtos químicos orgânicos (hidrocarbonetos cíclicos, alcoóis acíclicos e seus derivados, hidrocarbonetos acíclicos, éteres e seus derivados). Todos esses produtos são originários da Bahia.

UMA ANÁLISE CRÍTICA DOS PORTOS MARÍTIMOS

Temos em nosso país diversos portos, alguns de uso exclusivo de empresas privadas chamados de terminais portuários e outros abertos para receber os mais diversos navios, trazendo diferentes tipos de mercadorias e por sua administração ser pública, são chamados de portos.

Porém mesmo sendo responsável por movimentar uma parte da nossa economia, os portos não recebem a devida atenção. E uma das principais causas da sua ineficiência é, muitas vezes, a capacidade dos calados destes portos que não possuem profundidade suficiente e acabam por não receber navios com maior capacidade de transportes de cargas.

Este problema é um velho conhecido, mas sua resolução vem a passos lentos. Em muitos casos, leva-se décadas para concluir o projeto de dragagem e além da demora na conclusão, durante este processo, muitas vezes, pode-se interditar parcialmente ou totalmente o porto, diminuindo assim a sua produtividade.

COMO A REALIDADE DOS PORTOS BRASILEIROS PODE SER MELHORADA?

Identificamos alguns pontos que podem agilizar os processos marítimos em nosso país, melhorando a realidade dos portos brasileiros:

  • Um investimento maior para a melhoria física em nossos portos, seja para a modernização dos equipamentos, como para garantir segurança nas cargas e descargas.
  • Agilidade na apresentação e liberação das mercadorias. Para isso precisamos de uma integração maior entre os sistemas do governo.
  • Melhoria dos meios de transporte que interligam todo o fluxo marítimo, ou seja, integrar de forma eficientes as ferrovias e rodovias aos portos do país.

Espero que tenha gostado de todas essas informações a respeito dos principais portos brasileiros e da indústria naval. Se ainda não matou a sua curiosidade, não deixe de ler sobre como funciona a indústria de construção naval no Brasil.

Compartilhe essa matéria em seus grupos do Whatsapp, facebook e mate a curiosidade de todos os seus amigos.

Relacionados
Mais recentes