Tuesday, 30 de November de 2021

Como funciona a indústria de construção naval no Brasil? Perspectivas de crescimento, empregabilidade e muito mais

Construção naval no brasil

A indústria de construção naval no Brasil é de extrema importância para a economia e para um melhor desenvolvimento na empregabilidade

A indústria de construção naval no Brasil remonta aos tempos coloniais, período em que os portugueses transformaram a empírica “marinharia medieval” em uma ciência que permitia navegar com relativa segurança. O mercado marítimo/naval se distingue por seus vários segmentos, que parecem ser diferentes, mas que na realidade estão ligados por tópicos comuns compartilhados pelos interesses das partes interessadas deste setor. A segurança de pessoas e bens, proteção da propriedade e do meio ambiente são elementos comuns aos iates e plataformas offshore, assim como a navios de cruzeiro e navios graneleiros, navios porta-contêineres e navios militares.

Continua Depois da Publicidade

A importância da construção naval no Brasil

Nos últimos dez anos um novo setor produtivo passou a fazer parte das estatísticas, o setor da construção naval e offshore, que atualmente emprega mais de 60 mil pessoas, sendo mais de 25 mil nos estaleiros do Rio de Janeiro. A construção naval brasileira é considerada pelo Governo federal uma indústria estratégica por vários motivos.

Em primeiro lugar porque cria capacidade no Brasil para a construção dos navios necessários para transportar mercadorias às diversas regiões do país, do Rio Grande do Sul até a Amazônia, através de cerca de 8 mil quilômetros de mar e mais dois mil quilômetros através do Rio Amazonas. Constrói navios petroleiros e plataformas para produção de petróleo em alto-mar e os comboios de empurradores e barcaças para o transporte na extensa malha fluvial.

A construção naval, em todos os países onde existe, é fortemente apoiada pelos governos e pela sociedade, reconhecida como geradora de empregos, por sua capacidade de promover desenvolvimento nas regiões onde se localiza e por gerar negócios e renda na rede de empresas que fornecem aos estaleiros.

O grande poder da construção naval

A construção naval é uma indústria montadora, grande consumidora de aço, tubulações, equipamentos e sistemas eletrônicos de controle e comando. Promove intensa dinâmica no mercado de trabalho e qualifica recursos humanos num setor onde as encomendas para atender a produção de petróleo em alto-mar devem prosseguir pelos próximos 25 a 30 anos.

O Governo brasileiro adotou a política de implantar no Brasil uma indústria de construção naval capaz de atender uma parcela estratégica das necessidades de navios e plataformas de produção de petróleo.

Essa política pública está sendo cumprida com efeitos positivos para o emprego e a renda, criando uma nova categoria de trabalhadores e novas oportunidades de negócios. O Sinaval defende a continuidade desta política, que beneficia a todos os brasileiros.

A história da construção naval no Brasil segue em ascensão até 1979, ano em que uma grave crise ocorre no setor, persistindo até meses atrás, quando se vislumbra início de um novo ciclo. Hoje, com a descoberta da camada do pré-Sal, há o ressurgimento da indústria, que abre as portas a novas e promissoras carreiras profissionais, ensaiando um recomeço.

O mercado brasileiro já detém a quinta maior carteira de encomenda do mundo, com estudo para a construção de até 17 estaleiros, segundo fontes do setor.

Perfil do profissional que deseja trabalhar com Construção Naval

O profissional da área de Engenharia Naval deve gostar de cálculos mecânica, pois essas serão a base do seu trabalho. O trabalho de um engenheiro requer muito estudo, pesquisa e dedicação a projetos de longo prazo, por isso a capacidade de concentração e o foco nos objetivos são características importantes.

Para desempenhar atividades com eficiência, o profissional deve ter uma visão sistêmica dos processos, identificando toda e qualquer possibilidade de melhoria.

Ter gosto e afinidade pela mecânica e por processos de construção contribuem muito para o desenvolvimento dos trabalhos de um engenheiro naval.

O desenvolvimento de embarcações exige conhecimentos muito diversificados, por isso é realizado em equipes multidisciplinares. Desse modo, é fundamental ter boa fluência verbal para expor suas opiniões, e discernimento para compreender as exposições de colegas de trabalho.

Mercado de trabalho Construtores navais

O mercado de trabalho para um construtor naval está aquecido, pois a indústria naval tem crescido bastante no país. Os estados que apresentam maiores oportunidades de trabalho são Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e um destaque para o Rio de Janeiro, que possui  a maior indústria naval do Brasil.

Por ser uma mão de obra pouco disponível no mercado, o profissional em engenharia naval não encontra grandes dificuldades de se colocar no mercado de trabalho.

Os estaleiros são os maiores empregadores dessa mão de obra. Nessas empresas o engenheiro naval pode contribuir com a construção e manutenção de:

  • Embarcações militares;
  • Navios de apoio marítimo ou fluvial;
  • Navios graneleiros;
  • Módulos para plataformas;
  • Rebocadores e comboios;
  • Navios porta contêineres;
  • Navios para indústria petroquímica;
  • Sondas de perfuração;
  • Navios e barcos pesqueiros;
  • Lanchas de passeio.

O engenheiro naval também pode atuar em portos e hidrovias, coordenando embarque e desembarque de cargas, bem como atuar na indústria petroquímica em diversas funções.

Áreas de Atuação

Nessa área, o engenheiro naval vai comandar a construção de tudo quanto é tipo de coisa que flutua: embarcações de pequeno, médio ou grande porte.

Digo isso porque o profissional também pode projetar e construir plataformas de produção de petróleo. Além disso, também coordena a manutenção das mais variadas partes da embarcação.

Gerenciamento de Transporte

O profissional da Engenharia Naval também pode lidar com o comércio. A tarefa dessa área é planejar as etapas do comércio marítimo:

  1. Carregar o navio com a mercadoria;
  2. Transportar a mercadoria;
  3. Descarregar a mercadoria no seu destino;
  4. Armazenar a mercadoria;
  5. Distribuir a mercadoria.

A missão dos engenheiros envolvidos nesse processo é fazer com que tudo aconteça como tem que acontecer, sem falhas e atrasos.

Pesquisa e Desenvolvimento

Toda área precisa estar sempre evoluindo, e a Engenharia Naval não é diferente. Nessa área, os profissionais vão criar e testar novas ferramentas e tecnologias pro mercado.

Projeto de Sistemas Oceânicos

Essa área é mais complicadinha, mas bora lá!

A função dos profissionais é solucionar problemas de engenharia em embarcações, ou seja, ver o que a galera fez de errado e corrigir. Por estar muito ligado ao objetivo principal da área, aqui nascem novos projetos pra embarcações.

E a crise, não influencia?

Por causa da crise econômica no Brasil e o escândalo que a Petrobras se envolveu, o mercado de trabalho pra galera da Engenharia Naval deu uma esfriada.

Isso porque muitos navios e plataformas de petróleo que iam ser construídas, não vão mais ou vão ser construídas na China, por ser mais barato. Logo, a necessidade por engenheiros dessa área aqui no Brasil diminuiu e as oportunidades também.

Mas não se desespere!

Isso vale só pra área de construção naval. Ainda existe muita tecnologia pra ser inventada, muita embarcação e plataforma zoada pra ser arrumada e muita cagada besteira pra ser refeita.

Os empregos se concentram no litoral e nas cidades e portos próximos das faculdades que oferecem o curso. Bem, na verdade, fica perto dos empregos, mas o que você precisa saber é que tem faculdade e tem emprego em Santa Catarina, Rio, São Paulo, Pernambuco, Pará e Amazonas. Mas dá pra ser engenheiro naval fora do litoral e fora do Brasil também, é só caçar as oportunidades.

E OS SALÁRIOS?

Antes de tudo, saiba que os números que você vai ver aqui são MÉDIAS, ou seja, você pode ganhar tanto mais quanto menos que os valores que tão aqui. Se liga:

Os salários pros profissionais da Engenharia Naval variam de acordo com o cargo, tamanho da empresa e experiência do profissional.

Segundo o SINE (Site Nacional de Empregos), o salário de um engenheiro naval vai de R$ 4.700,00 (Trainee em pequena empresa) a R$ 20.000,00 (Master em grande empresa).

Obs.: É IMPORTANTÍSSIMO você entender que é bem provável que você não seja contratado como engenheiro logo de cara, mas como analista de qualquer coisa.

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de entender a diferença entre indústria Onshore e Offshore.

Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.