Início Navio da Wilson Sons realiza primeira operação de celulose em novo berço de movimentação de cargas no Porto de Itaqui

Navio da Wilson Sons realiza primeira operação de celulose em novo berço de movimentação de cargas no Porto de Itaqui

março 10, 2022 às 12:50 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A companhia Wilson Sons realizou a primeira operação de movimentação de cargas no novo berço do Porto de Itaqui, com uma exportação de celulose feita no navio Pelican Arrow
A companhia Wilson Sons realizou a primeira operação de movimentação de cargas no novo berço do Porto de Itaqui, com uma exportação de celulose feita no navio Pelican Arrow. Fonte: Divulgação

A companhia Wilson Sons realizou a primeira operação de movimentação de cargas no novo berço do Porto de Itaqui, com uma exportação de celulose feita no navio Pelican Arrow

Esta última terça-feira, (08/03), foi marcada pela primeira operação no recém-construído Píer 99, o novo berço de movimentação de cargas localizado no Porto de Itaqui. A companhia Wilson Sons, por meio do navio Pelican Arrow, realizou a exportação de milhares de toneladas de granéis de celulose nesta semana, com destino final à França e à Holanda durante os próximos dias.

Veja também:

Novo berço de movimentação de cargas do Porto de Itaqui inicia operações com o navio Pelican Arrow, da companhia de logística Wilson Sons 

O Porto de Itaqui possui uma grande presença no setor portuário nacional, em relação às operações de movimentação de carga, tanto a exportação como a importação, e pretende expandir cada vez mais esses resultados. Assim, o recém-construído Píer 99, o novo berço de movimentação de cargas do porto, começou a ser utilizado nesta semana, em uma operação de exportação de celulose envolvendo a companhia de logística global Wilson Sons. 

O navio Pelican Arrow, da gigante Wilson Sons, foi o responsável pela movimentação dos granéis de celulose no Píer 99. Com isso, foram embarcadas 59.002 toneladas de celulose, sendo 28.172 toneladas com destino ao Porto de La Pallice, na França, e 30.830 toneladas ao Porto de Flushing, na Holanda. Esse é um grande avanço para o Porto de Itaqui em relação às suas operações de movimentação de cargas, uma vez que o novo berço de atracação foi desenvolvido para a expansão nas operações, com foco na exportação de celulose. 

Dessa forma, André Nogueira, coordenador de Operações de Agenciamento em São Luís, comentou sobre a importância e a relevância dessa operação para o Porto de Itaqui e como a atração do navio Pelican Arrow marcou o início de novos empreendimentos no local. O executivo ainda ressaltou que “Como o berço 99 ainda está em fase de comissionamento e homologação, existem restrições a serem consideradas para essa operação, como a coordenação com a praticagem e demais stakeholders para a realização das manobras somente durante o dia, buscando manter a produtividade aliada à segurança”. 

Porto de Itaqui agora poderá investir na movimentação de cargas com foco na exportação de celulose, em razão do início das operações no Píer 99

A responsável pela construção do novo berço de atracação do Porto de Itaqui foi a companhia Suzano, maior produtora de celulose de eucalipto do país, que exportou mais 1,6 milhão de toneladas do produto em 2021. Assim, o foco principal do berço é a exportação de granéis de celulose durante os próximos meses, operação que já é realidade após a Wilson Sons ter mandado o seu navio Pelican Arrow para a movimentação dessas cargas no porto. 

Mas a celulose não é o único foco do novo berço de atracação do Porto de Itaqui, uma vez que ele poderá realizar uma série de operações envolvendo outras commodities, como trigo e fertilizantes, e vai contribuir para a diminuição do tempo de espera dos navios na área de fundeio. O porto está localizado no Arco Norte, uma região com grande potencial para a exportação de commodities, e essa operação com o navio da Wilson Sons serviu para abrir os olhos das companhias da região em relação à movimentação de cargas no porto. 

Agora, o que se espera é que o Porto de Itaqui possa aproveitar toda a infraestrutura disponível no Píer 99 e consiga expandir ainda mais as operações envolvendo a exportação da celulose e de outros produtos nacionais.

Relacionados
Mais recentes