Início Wilson Sons investe na expansão da exportação de minério de ferro e foca na sustentabilidade para as atividades com os rebocadores

Wilson Sons investe na expansão da exportação de minério de ferro e foca na sustentabilidade para as atividades com os rebocadores

abril 5, 2022 às 11:54 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A alta demanda pela exportação de minério de ferro fez com que a Wilson Sons voltasse os seus olhares para essas operações e, consequentemente, investisse mais na sustentabilidade nos seus rebocadores 
A alta demanda pela exportação de minério de ferro fez com que a Wilson Sons voltasse os seus olhares para essas operações e, consequentemente, investisse mais na sustentabilidade nos seus rebocadores. Fonte. Divulgação

A alta demanda pela exportação de minério de ferro fez com que a Wilson Sons voltasse os seus olhares para essas operações e, consequentemente, investisse mais na sustentabilidade nos seus rebocadores 

Durante essa última segunda-feira, (04/04), a companhia de logística e transporte de cargas Wilson Sons comentou sobre a alta demanda pela exportação de minério de ferro e os planos de investimentos nos rebocadores que atuam no segmento. Assim, a empresa também afirmou que irá focar na sustentabilidade e na compra de ativos mais limpos para o transporte de cargas ao longo do ano de 2022.

Não perca:

Vídeo: Conheça a história da companhia Wilson Sons

Mais de 184 anos de muita história, Wilson Sons é um exemplo no setor portuário. Fonte: YouTube

Exportação de minério de ferro apresenta alta e Wilson Sons aproveita cenário para expandir investimentos nos rebocadores e nas operações de transporte do minério 

A exportação de minério de ferro no Brasil vem crescendo consideravelmente nos últimos anos e, somente no ano de 2021, atingiu a marca de 355 milhões de toneladas movimentadas, um número nunca antes visto dentro do setor portuário nacional. Assim, as companhias de movimentação de cargas se preparam para uma alta ainda maior ao longo do ano de 2022 e a Wilson Sons enxerga o cenário da melhor forma para expandir as suas operações dentro do setor portuário brasileiro. 

A companhia realizou mais de 7 mil manobras relacionadas ao segmento em 2021 e vê no mercado de minério de ferro uma oportunidade de expansão para a unidade de negócios Rebocadores, uma vez que ela atua nas principais rotas de escoamento do minério, da Ponta da Madeira (Maranhão), do Açu (Rio de Janeiro), de Itaguaí (Rio de Janeiro) e de Tubarão (Espírito Santo). Assim, a presença da companhia dentro do segmento permite que ela aproveite de forma muito eficiente a alta demanda dos mercados internacionais, como por exemplo o chinês, que está cada vez mais inclinado para a compra do minério de ferro brasileiro. 

Além disso, a alta na demanda pelo minério de ferro não deverá se resumir ao ano de 2021 e as companhias do setor portuário esperam um crescimento ainda maior da exportação do produto durante o ano de 2022, principalmente ao longo do segundo trimestre do ano. Assim, Elísio Dourado, diretor comercial da divisão de Rebocadores, comentou sobre o segmento e afirmou que  “Realizamos um planejamento que busca atender ao volume de cargas e navios nos próximos anos, conciliando nossa frota e a construção de novos rebocadores com informações sobre projetos, volume de carga e, até mesmo, possíveis aumentos de porte de navios em alguns terminais”.

Novas operações da empresa de logística irão focar na sustentabilidade e a companhia pretende expandir compra de rebocadores mais limpos para as operações

A Wilson Sons vem buscando cada vez mais a sustentabilidade dentro da exportação do minério de ferro e a compra de novos rebocadores é só o primeiro passo para a expansão das operações. A empresa já conta com uma frota de 80 rebocadores, a maior do país e está investindo em ativos mais sustentáveis e de alta potência, além de procurar oferecer soluções customizadas para cada cliente.

Além disso, durante o ano de 2022, a empresa irá comprar novos rebocadores que irão contar com tecnologias capazes de reduzir em mais de 75% os níveis de emissão de óxido de nitrogênio (NOx), tornando assim a cadeia de exportação de minério de ferro cada vez mais limpa e adotando a sustentabilidade dentro desse segmento tão importante para o setor portuário brasileiro. 

A unidade de Rebocadores é o principal destaque dentro da cadeia de exportação do minério de ferro, mas o Centro de Aperfeiçoamento Marítimo (CAMWS) também vem investindo em novas soluções para o segmento e a empresa pretende expandir ainda mais os estudos da sustentabilidade dentro das operações de exportação.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes