Tuesday, 30 de November de 2021

O Redex chega ao Porto de Salvador para oferecer uma exportação de cargas mais segura dentro do setor portuário

O setor portuário, mais especificamente, o Porto de Salvador, agora conta com o Redex, que será operado pela Wilson Sons e trará segurança a exportação de cargas

A movimentação de cargas no Porto de Salvador requer da Wilson Sons, uma segurança eficaz e rápida, que poderá ser realizada, graças a homologação do Redex

Apesar de o frete ter aumentado significativamente no setor portuário no decorrer dos últimos meses, a movimentação de cargas continua a todo vapor, principalmente no que diz respeito à exportação. Visando contribuir ainda mais para o setor, a companhia Wilson Sons revelou nessa última sexta-feira, (01/10), que o seu Terminal de Contêineres do Porto de Salvador, obteve através da Receita Federal, a homologação necessária para atuar como um Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex). Com isso, haverá uma maior segurança e agilidade no que diz respeito aos processos de logística entre as indústrias, os clientes do Porto e as empresas de exportação.

Continua Depois da Publicidade

Confira outras notícias interessantes:

A importância do Redex para o Terminal de Contêineres do Porto de Salvador operado pela Wilson Sons

A verificação das cargas e todo o procedimento que envolve o desembaraço aduaneiro é desenvolvido pelo próprio Centro Logístico da Wilson Sons. Em casos onde o exportador necessita de alguns serviços especiais, tais como, o armazenamento ou manuseio das cargas, a empresa poderá solicitar diretamente à companhia. E assim, após a realização da conferência e dos demais serviços solicitados, a carga destinada à exportação será transportada do Terminal de Contêineres da Wilson Sons em direção ao Tecon Salvador, localizado à uma distância de 15 quilômetros.

Com a homologação do Redex, a companhia foi agraciada com diversos benefícios, além da segurança na exportação. Dentre eles, podemos citar: redução de riscos no que diz respeito ao armazenamento na zona primária, em consequência à situação do setor portuário internacional; notas fiscais otimizadas para estufagem e logística quanto a expedição. Além disso, haverá uma maior segurança quanto a recepção e despacho aduaneiro, bem como, uma coordenação melhorada quanto a abertura do gate no Porto de Salvador.

Para o diretor comercial do Tecon Salvador, unidade de negócios da Wilson Sons, Marcelo Neme, “aliado ao padrão de serviço existente no Tecon Salvador, apostamos que essa será mais uma alternativa fruto do entendimento das necessidades de alguns perfis de exportadores do Nordeste, que almejam soluções similares para otimizar as suas operações logísticas. Temos certeza de que este é o caminho para o fortalecimento e expansão dos negócios, além da melhoria focada na experiência do cliente, que traz novos rumos e celeridade para a ascensão do mercado de exportação do Nordeste perante o mundo”.

Como o setor portuário e o Tecon Salvador serão beneficiados com o Redex?

A Wilson Sons é uma companhia referência no setor portuário. E agora, com o Redex, a expectativa é contribuir ainda mais para a exportação de cargas, fazendo do Brasil, um importante país dentro desse setor. Em relação a movimentação de cargas no Tecon Salvador, estas representam anualmente, cerca de 29% do total realizado. Somente no primeiro semestre, cerca de 42.000 TEUs foram embarcados. Em relação as cargas mais movimentadas, podemos elencar os produtos químicos, a Celulose e papel, além de pneus, como sendo as mais frequentes.

Para melhor atender toda a demanda que chega ao Porto de Salvador, o Terminal de Contêineres está sendo ampliando. A expansão conta com uma duplicação no cais que já fora construída, além de possuir atualmente, uma infraestrutura semelhante aos maiores Portos do mundo. Suas operações são realizadas com equipamentos de alta tecnologia, que incluem sistema regenerativo de energia, sendo eles: o 3 STS New Panamax, 3 Super Post-Panamax, 3 STS Panamax e 16 RTGs elétricos.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.