Sunday, 22 de May de 2022

Governo do Paraná e TCP iniciam estratégias para ampliar a logística da movimentação de cargas de produtos vindos do Paraguai por meio do Porto de Paranaguá

O Paraguai agora poderá retomar a utilização do Porto de Paranaguá para as operações de movimentação de cargas, tanto a exportação quanto a importação, após plano de ampliação da logística do TCP e do governo do estado

O Paraguai agora poderá retomar a utilização do Porto de Paranaguá para as operações de movimentação de cargas, tanto a exportação quanto a importação, após plano de ampliação da logística do TCP e do governo do estado 

Com novas dinâmicas dentro do setor portuário do Paraná, o governo do estado e o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), comentaram nesta última terça-feira, (29/03), sobre os planos de ampliação e abertura logística para as operações de movimentação de cargas de produtos vindos do Paraguai, que poderá utilizar o Porto de Paranaguá para exportação e importação de granéis. 

Leia mais:

Porto de Paranaguá poderá ser rota de exportação e importação para a movimentação de cargas vindas do Paraguai, com novos planos do TCP e do governo do Paraná para o complexo

O Porto de Paranaguá é, historicamente, a principal rota de movimentação de cargas vindas do Paraguai, uma vez que possui uma posição geográfica privilegiada e garante uma redução no tempo do transporte. No entanto, o ano de 2003 fez com que essa logística fosse alterada, quando o bloqueio do estado a produtos transgênicos fez com que o país desenvolvesse um sistema de hidrovias nos rios Paraguai e Paraná.

Apesar disso, as mudanças atuais no setor portuário podem mudar essa dinâmica entre o país e o complexo, em razão dos projetos como a Nova Ferroeste, o novo programa de concessões rodoviárias, a Ponte de Integração Brasil-Paraguai. Todas essas iniciativas visam trazer uma abertura maior na logística de movimentação de cargas vindas do Paraguai no Porto de Paranaguá, para retomar a utilização do complexo como a principal rota de escoamento no Brasil e expandir ainda mais a relevância do porto dentro do setor portuário internacional.

Assim, o TCP realizou uma reunião para debater essa questão junto ao governo do estado do Paraná e pretende atrair uma maior integração logística entre o Paraná e o país vizinho, tendo em vista os projetos em curso no Estado para a modernização dos modais de infraestrutura. Dessa forma, tanto o Porto de Paranaguá quanto o governo do Paraná seriam beneficiados, uma vez que a atração de novas operações de movimentação de cargas também significa uma maior circulação de bens e capitais dentro do estado, essencial para o desenvolvimento econômico.

Paraguai possui grande volume de movimentação de cargas e o TCP pretende atrair essas operações para o Porto de Paranaguá durante o ano de 2022

O potencial de exportação e importação do Paraguai, utilizando o Porto de Paranaguá, é bastante reconhecido pelo TCP, sobretudo pois o país movimentou, somente durante o ano de 2021, 165 mil TEUs, sendo um volume cada vez maior através do Porto de Paranaguá. Assim, a redução da logística e dos custos no transporte de cargas dentro do complexo portuário poderá tornar essa dinâmica entre o local e o país cada vez mais benéfica para ambos os lados no futuro. 

O diretor Comercial e Institucional da TCP, Thomas Lima, comentou que “O nosso eixo logístico poderia ser muito mais aproveitado do que é atualmente, o que geraria uma competitividade muito interessante para as empresas paraguaias, além de ganhos para o Paraná. Por isso queremos mostrar às autoridades paraguaias que é preciso fazer o gerenciamento dessa competição, melhorar as taxas de Paranaguá para ampliar a movimentação por aqui, que é muito mais rápida que pelos outros países”.

Assim, a empresa está direcionando seus esforços para atrair novos investimentos e dinâmicas dentro do mercado paraguaio e tornar a rota do Porto de Paranaguá cada vez mais atraente para as empresas que pretendem realizar exportação e importação de produtos vindos desse país durante o ano de 2022 e nos seguintes.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.
Load more