Saturday, 21 de May de 2022

Economia do Mar pode ser mais aproveitada no Rio de Janeiro segundo a Alerj

A Alerj discutiu, em uma reunião recente, acerca do potencial do estado do Rio de Janeiro para a chamada Economia do Mar

A Alerj discutiu, em uma reunião recente, acerca do potencial do estado do Rio de Janeiro para a chamada Economia do Mar e a capacidade da região de crescimento no setor

Durante a última sexta-feira, (29/10), ocorreu uma audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), com o intuito de discutir a criação de uma política voltada para a Economia do Mar no estado, uma vez que a Alerj acredita que o Rio de Janeiro possui um grande potencial para o crescimento nesse setor.

Não deixe de conferir:

Projeto de Lei para a criação de uma política voltada para a Economia do Mar é amplamente discutido em reunião 

A audiência pública recente contou com o forte posicionamento de alguns representantes do estado do Rio de Janeiro acerca do Projeto de Lei 4.698/21, que visa a criação da Política Estadual da Economia do Mar, com o objetivo de um maior fortalecimento do setor por parte do Executivo. O Rio de Janeiro é um estado que conta com quase mil quilômetros de costa, que pode ser bastante utilizado e possui um grande potencial para o setor marítimo, basta apenas que os investimentos necessários sejam concentrados para a melhoria do setor. 

O vice-almirante da Marinha do Brasil, Edésio Teixeira Lima Junior, comentou sobre o potencial do estado nesse setor e afirmou que “O mar é a última fronteira do desenvolvimento humano que precisa ser explorada de maneira racional, sustentável, inteligente, em prol da nossa sociedade. E não há lugar no mundo que reúna todas as condições para isso, como o Estado do Rio. É o único ponto da costa transversal ao fluxo dos oceanos que cria um ambiente pesqueiro, mas por falta de estrutura e organização, o estado não explora todo o seu potencial”.

A Economia do Mar é um dos setores que mais arrecada capital ao redor de todo o mundo e o Rio de Janeiro pode se tornar um dos grandes polos para essas operações, se obtiver os investimentos necessários para isso. Os investimentos neste setor não só potencializam a economia do estado, como também favorecem a criação de empregos para os cariocas. 

Órgãos do estado do Rio de Janeiro apoiam fortemente a iniciativa da Alerj em torno da Economia do Mar

O potencial do Rio de Janeiro para se tornar um grande polo voltado para a Economia do Mar não é só visto pela Alerj, mas também, por órgãos cariocas que comentaram sobre a audiência. O presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo e Gás (IBP) destacou que “Patriotismo é brigar pelo melhor para o nosso país. Essa iniciativa tem enorme chance de dar certo. É preciso muita convergência no campo das ideias para que as coisas evoluam. O estado do Rio merece”

O apoio aos investimentos desse setor é facilmente justificado, uma vez que o Governo do Estado afirmou que a Economia do Mar representa cerca de 44% do PIB estadual, além de contar com 27% dos municípios voltados para o mar. Assim, investir no setor marítimo é a garantia de um crescimento maior dessa área, que já representa, economicamente, muito para o estado do Rio de Janeiro. 

Após a comitiva realizada pela Alerj, o que se espera é que, com o posicionamento a favor do Projeto de Lei de órgãos como o Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) e o Instituto Brasileiro do Petróleo e Gás (IBP), os investimentos na Economia do Mar sejam maiores e o setor possa crescer ainda mais na região carioca.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.
Load more