Monday, 29 de November de 2021

Multilog vence licitação e irá operar o Porto Seco de Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina

A Multilog conseguiu a licitação e, durante os próximos 25 anos, irá operar o Porto Seco de Dionísio Cerqueira, no estado de Santa Catarina

A empresa Multilog conseguiu a licitação e, durante os próximos 25 anos, irá operar o Porto Seco de Dionísio Cerqueira, no estado de Santa Catarina 

A assinatura do contrato entre a Multilog, a Superintendência da Receita Federal da 9ª Região Fiscal, o governo de Santa Catarina e a prefeitura de Dionísio Cerqueira aconteceu nesta última quinta-feira, (11/11), e a empresa se consagrou como a vencedora do processo de licitação para construir e operar o Porto Seco de Dionísio Cerqueira, localizado em Santa Catarina, nos próximos 25 anos.

Continua Depois da Publicidade

Confira também:

Porto Seco de Dionísio Cerqueira será construído em breve e a Multilog será a operadora do local 

Após vencer o processo de licitação recente e assinar o contrato, a Multilog já dá os passos iniciais para ser a operadora do Porto Seco de Dionísio Cerqueira, que será construído no Extremo Oeste de Santa Catarina e divisa com a Argentina. O município será o único ponto de fronteira alfandegária do estado e, com a operação da multilog, a previsão é de que a produtividade na região consiga crescer de forma considerável e potencializar o desenvolvimento de Santa Catarina em relação a esse segmento. 

Mark Tollemache, delegado da Alfândega da Receita Federal de Dionísio Cerqueira e auditor fiscal da Receita Federal, comentou acerca da importância desse projeto para o desenvolvimento de Dionísio Cerqueira e afirmou que “o porto seco é uma demanda histórica do estado de Santa Catarina e trará um futuro promissor de desenvolvimento para a região. Estamos felizes de ter a Multilog como responsável pela condução do projeto, pois a empresa tem amplo know how na área do comércio exterior”.

A estrutura do novo Porto Seco de Dionísio Cerqueira contará com um armazém para armazenagem e circulação de cargas, estacionamento para veículos e área estimada de 70 mil m² apenas na sua primeira fase de operação. O investimento total ao longo dos 25 anos os quais a Multilog irá operar o porto será de cerca de R$ 24 milhões e a companhia espera um crescimento favorável do setor na região. 

Construção do Porto Seco proporcionará um desenvolvimento maior da região no setor da exportação

O município de Dionísio Cerqueira é bastante importante para a região, uma vez que conecta Santa Catarina e Paraná à Argentina e, somente nos últimos 15 anos, movimentou cerca de 406 mil toneladas de carga pelos locais. Os principais produtos circulados são verduras, legumes e frutas, além de carne e madeira e, com o desenvolvimento do novo porto, a previsão é de que esses números consigam crescer ainda mais. 

Djalma Vilela, CEO da Multilog, fez alguns comentários acerca da iniciativa e operação da companhia do novo porto e destacou que “estamos otimistas com a evolução do comércio exterior no Brasil, principalmente o estado de Santa Catarina, e com as projeções da nossa atuação no futuro. Já temos grande expertise em operação de portos secos de fronteiras, considerando que estamos à frente dos dois maiores da América Latina, localizados em Foz do Iguaçu e Uruguaiana. Temos certeza de que esta conquista é estratégica e trará muita competitividade e desenvolvimento para a região”.

O novo Porto Seco de Dionísio Cerqueira terá cerca de 20 mil veículos circulando no local apenas nos primeiros 12 meses de funcionamento e deverá gerar cerca de 230 empregos locais, de forma direta e indireta. Assim, a construção do local irá potencializar o desenvolvimento econômico da região nos próximos 25 anos.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.