Início EPL entrega ao Ministério da Infraestrutura estudos para privatização de trecho aquaviário no Porto de Paranaguá, com estimativas para as obras de infraestrutura

EPL entrega ao Ministério da Infraestrutura estudos para privatização de trecho aquaviário no Porto de Paranaguá, com estimativas para as obras de infraestrutura

março 24, 2022 às 11:01 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O trecho aquaviário ao Porto de Paranaguá contou com um levantamento da EPL, enviado ao Ministério da Infraestrutura, para as projeções sobre as obras de infraestrutura que precisam ser realizadas após o processo de privatização
O trecho aquaviário ao Porto de Paranaguá contou com um levantamento da EPL, enviado ao Ministério da Infraestrutura, para as projeções sobre as obras de infraestrutura que precisam ser realizadas após o processo de privatização. Fonte: Divulgação

O trecho aquaviário ao Porto de Paranaguá contou com um levantamento da EPL, enviado ao Ministério da Infraestrutura, para as projeções sobre as obras de infraestrutura que precisam ser realizadas após o processo de privatização

Durante esta última terça-feira, (22/03), a Empresa de Planejamento e Logística (EPL)  entregou ao Ministério da Infraestrutura a finalização dos estudos sobre o processo de privatização do trecho aquaviário que dá acesso ao Porto de Paranaguá. O relatório ainda incluía novas projeções sobre as obras de infraestrutura necessárias para serem realizadas após a entrega da estrutura ao setor privado no futuro.

Confira:

Vídeo: Saiba um pouco mais da história do Porto de Paranaguá e Antonina

A incrível história dos Portos do Paraná. Fonte: YouTube

Projeto de privatização do trecho aquaviário que dá acesso ao Porto de Paranaguá agora conta com estudos realizados pela EPL e entregues ao Ministério da Infraestrutura

O Porto de Paranaguá entrou para os projetos de privatização dentro do setor portuário nacional, mas com apenas algumas estruturas do complexo, como o trecho aquaviário que dá acesso ao local e serve como berço para os navios que chegam ao porto. Assim, uma série de processos precisaram ser realizados para que o projeto de privatização fosse levado adiante, incluindo um longo levantamento e estudos feitos sobre as obras necessárias no futuro e quais são as reais estruturas do acesso que estão precisando de reformas. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
Google News Google News

Com isso, a EPL entregou ao Ministério da Infraestrutura um relatório completo com todas as informações levantadas em relação ao processo no trecho aquaviário. Assim, o projeto irá  transferir para a iniciativa privada a operação do trecho aquaviário compreendido entre o mar aberto e o cais do porto, mas ainda manterá as demais funções de autoridade portuária a cargo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), como forma de garantir a administração portuária ainda por parte de uma companhia estatal e que possa dialogar mais facilmente com o governo. 

O diretor-presidente da EPL, Arthur Lima, comentou sobre a relevância desse projeto de privatização e sobre a participação da empresa nos estudos sobre as obras de infraestrutura necessárias no trecho aquaviário. O executivo ainda destacou que “Esse é o primeiro projeto de concessão de infraestrutura de acesso aquaviário do Brasil. Com o trabalho, a EPL traz uma nova solução para os investimentos em dragagem. O sucesso desse projeto vai revolucionar o Porto de Paranaguá, que é o segundo maior porto público em movimentação no país”.

Trecho aquaviário que dá acesso ao Porto irá necessitar de grandes obras de infraestrutura para garantir um bom acesso para os navios de grande porte

Um dos principais objetivos do Porto de Paranaguá com os estudos realizados pela EPL era verificar quais os caminhos necessários para transformar a estrutura em um verdadeiro berço para navios de grande porte, o que iria garantir uma expansão maior das operações nos portos nacionais. Assim, o vencedor do leilão realizará investimentos na ordem de R$ 1,05 bilhão nos primeiros quatro anos de implantação do empreendimento de obras de infraestrutura para garantir isso. 

Com isso, a EPL realizou todos os levantamentos necessários e concluiu que o trecho precisará da realização de serviços de dragagem de manutenção, balizamento náutico, sistema Vessel Traffic Service (VTS), levantamentos batimétricos e gestão ambiental e o  prazo da concessão será de 25 anos, para garantir que todas essas reformas possam ser realizadas dentro do prazo previsto.

Assim, o projeto irá tornar o trecho aquaviário apto a receber navios de maiores dimensões, a exemplo de porta-contêineres da classe New Panamax e outros modelos maiores, com calado máximo operacional previsto de 15,5 metros, visando uma expansão ainda maior da presença do Porto de Paranaguá dentro do setor portuário nacional e internacional durante os próximos anos.

Relacionados
Mais recentes