Início Empresa marítima lança projeto do primeiro navio de cruzeiro com zero emissão de carbono

Empresa marítima lança projeto do primeiro navio de cruzeiro com zero emissão de carbono

outubro 17, 2022 às 3:20 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
navio de cruzeiro com zero emissão de carbono
Navio de cruzeiro com zero emissão de carbono (Foto/divulgação)

A West Sea, empresa do Grupo Martifer que assumiu a concessão da tranche do estaleiro de Viana do Castelo, assinou em setembro uma “carta de intenções” com a Northern Explorer para desenvolver o primeiro navio de cruzeiro zero carbono.

Programado para operar nos fiordes da costa norueguesa, pode acomodar 250 passageiros e deve estar pronto na temporada de cruzeiros 2025/26.

Conheça mais sobre o primeiro navio de cruzeiro zero carbono

Como o investidor está ligado ao setor de turismo da Noruega, a jovem empresa pretende construir uma nova embarcação ecologicamente correta para operar na região.

Artigos recomendados

Um projeto deve considerar o tempo e a capacidade que você tem para fazer a navegação – em termos de baterias recarregáveis ​​e de hidrogênio – para poder navegar até lá com zero emissões.

O acordo foi assinado na feira SMM em Hamburgo (Alemanha). Depois de se tornar o estaleiro de eleição, num consórcio que inclui outras empresas europeias do setor naval, como a ABB Technology (fornecendo sistemas de propulsão 100% elétricos), o gestor disse que o plano financeiro está agora a ser afinado ao mesmo tempo.

É certo que os portos portugueses devem investir na rede de distribuição de energia nova para navios, caso contrário serão afectados por outras infra-estruturas concorrentes. No caso destes projetos de conversão, o porta-voz da West Sea lembrou que o abastecimento de gás em fase de testes teve de entrar no porto de Viana do Castelo por camião, operação logística altamente monitorada e de alto risco.

São 243 milhões de investimentos

Desde que assumiu a subconcessão do Estaleiro de Viana,a empresa  realizou 17 construções navais por cálculos da West Sea – incluindo 10 navios de cruzeiro fluvial, três navios de expedição polar e dois navios de guerra.

Para além da reparação de 320 embarcações e quatro reequipamentos, estas duas actividades representam cerca de 30% da produção total e asseguram actualmente quase 380 postos de trabalho. No final do primeiro semestre de 2022, as encomendas totalizaram 243 milhões de euros.

Um dos principais clientes é a Mystic Cruises, do empresário Mário Ferreira, proprietário da Douro Azul, que apresentou no sábado o World Traveler, o seu quarto navio oceânico, no terminal de cruzeiros do porto de Leixões.

Tal como a Navalria, que adquiriu em 2008, acaba de perder a licença europeia para desmantelar navios em Aveiro, parte da subsidiária Martifer Metallic Constructions. Em 2021, o negócio da Indústria Naval atingiu um lucro de 9,1 milhões de euros (72% dos resultados consolidados da Martifer) e um volume de negócios de 91,7 milhões de euros (40% do total do grupo).

Precisamente para o estaleiro de Viana do Castelo, o grupo fundado em 1990 pelos irmãos Carlos e Jorge Martins, com Pedro Duarte à frente executiva, pretende realizar um projeto classificado como o maior investimento da última década, no valor entre 15 e 18 milhões de euros. Um projeto da subsidiária WestSea, que ainda aguarda autorização, envolve a construção de um novo cais com 220 metros de comprimento e 45 metros de largura, que permitirá a reparação de navios de maior dimensão na capital, Alto Minho.

Leia mais: Após pegar fogo, navio porta-contêineres afunda na Arábia Saudita

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes