Monday, 29 de November de 2021

Bilionário Andrew Forest pretende utilizar amônia como combustível da sua frota de navios

Andrew Forest pretende investir em alternativas renováveis e converter os navios da sua frota para a utilização de amônia como combustível

Andrew Forest, bilionário no ramo da mineração, pretende investir em alternativas renováveis e converter os navios da sua frota para a utilização de amônia como combustível

Com os impactos ambientais cada vez mais presentes nas discussões globais, o magnata Andrew Forest, presidente do Fortescue Metals Group, anunciou nesta última quinta-feira, (11/11), que pretende construir um navio que funcione utilizando a amônia como combustível e quer converter toda a sua frota em até uma década. A iniciativa será bastante benéfica para um futuro mais renovável em relação aos combustíveis. 

Continua Depois da Publicidade

Notícias que talvez possam lhe interessar:

Andrew Forest quer converter toda a sua frota de navios para a utilização de amônia até o fim da década

A preocupação em relação ao uso dos derivados do petróleo como combustíveis, em especial em navios, está cada vez mais presente ao redor do mundo inteiro e o bilionário Andrew Forest pretende fazer a sua parte em relação a isso. O magnata da mineração afirmou que irá criar um navio que funcionará a base de amônia como combustível, o que pode ser bastante benéfico para reduzir a utilização de combustíveis não renováveis. 

O fundador do Fortescue Metals Group e gigante no ramo da mineração comentou acerca dos seus objetivos para a utilização da amônia como combustível na sua frota e o que ele pretende para os próximos anos. O executivo afirmou que “este é apenas o primeiro”, e acrescentou destacando que “temos cerca de 100 navios na água e estaremos convertendo todos os nossos próprios navios em amônia verde na primeira oportunidade possível, bem nesta década.”

Assim, a expectativa é que o bilionário consiga converter todos os 100 navios que fazem parte da sua frota para a utilização da amônia como combustível até o fim desta década e, consiga assim, ter veículos 100% livres da emissão de carbono, o que contribuirá para um futuro mais sustentável e servirá de referência para que outras grandes companhias possam aderir à iniciativa e utilizar fontes alternativas e renováveis de combustíveis. 

Amônia é uma alternativa bastante viável para substituir o uso de derivados do petróleo como combustíveis

A questão do uso de combustíveis fósseis, que contribuem para a liberação de gás carbônico na atmosfera e a elevação dos impactos ambientais, deve ser debatida em todos os setores do mercado global e a iniciativa de Andrew Forest pode ser um grande passo rumo à essa discussão, uma vez que a amônia pode ser utilizada como combustível de maneira totalmente limpa e ecológica, sem emissão de gases poluentes, minimizando assim os impactos ao meio ambiente que a frota causará. 

Atualmente, a maior parte da frota de navios do mundo inteiro utiliza os derivados do petróleo como a principal fonte de combustível e isso vem potencializando a emissão de carbono na atmosfera, contribuindo para a elevação do efeito estufa e os impactos ambientais. Assim, a utilização da amônia como combustível principal de navios pode ser uma ótima alternativa para o mercado global. 

O navio que o bilionário irá construir está longe de ser uma grande embarcação e conta com capacidade de transporte que corresponde a menos de um centésimo do tamanho de alguns dos maiores transportadores de mercadorias no mundo inteiro. Entretanto, é um grande passo para a utilização de fontes alternativas de combustíveis e pode ser muito importante para o desenvolvimento de um futuro mais sustentável e ecológico.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.