MENU
Portos e estaleiros
Menu
Início Cinco empresas entram na disputa pelo terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) no Porto de Suape

Cinco empresas entram na disputa pelo terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) no Porto de Suape

setembro 24, 2021 às 3:19 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
suape - gás - pernambuco - empregos - porto
Porto de Suape – Pernambuco

Cinco grupos nacionais e estrangeiras já entraram na disputa. 2,5 mil vagas de emprego serão geradas com a implantação do terminal no Porto de Suape


Estado de Pernambuco pode faturar R$ 1,5 bilhão com a implantação de um terminal de regaseificação (Regás) no Complexo Industrial Portuário de Suape, prevista para o primeiro semestre de 2022. O tema foi discutido pelo governador Paulo Câmara em uma reunião com sua equipe, no dia 16 de setembro último. Até o momento, cinco grupos nacionais e estrangeiras – Oncorp, New Fortress Energy (NFE), Compass Gás e Energia (Cosan), TotalEnergies e Sonne Energias Renováveis, mostraram interesse.

Leia também

Já montante de R$ 1,5 bilhão corresponde aos aportes em infraestrutura, visando a implantação da unidade, que receberá um navio indústria – conhecido como Floating Ship Regaseification Unit (FSRU) – para viabilização da operação, por meio de gasodutos interligados a uma Estação de Transferência de Custódia (ETC).

2,5 mil vagas de emprego serão geradas com a implantação do terminal

Durante o processo de instalação do terminal, cerca de 2,5 mil empregos serão gerados, e com a unidade em funcionamento, outros 300 postos de trabalho deverão ser criados. “A instalação do terminal de Regás será muito importante dentro do projeto de planejamento do futuro de Pernambuco, e vai garantir efetivamente que o Porto de Suape esteja cada vez mais preparado, dando condições para que o gás chegue a todos os cantos do Estado e seja utilizado cada vez mais como fonte de energia para os projetos prioritários e para as indústrias que já funcionam aqui”, destacou Paulo Câmara.

“A implantação do terminal de regaseificação em Suape vai permitir que a gente tenha concorrência na oferta de gás no nosso Estado, tornando a indústria mais competitiva, porque a gente vai ter a disputa de mais de um fornecedor. Antigamente, o gás era todo oferecido pela Petrobrás. Agora, a gente vai ter um player privado fazendo a regaseificação em Suape e oferecendo esse gás também”, pontuou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio.

“O gás natural que chegará por Suape atenderá não só as indústrias do complexo, mas também outros empreendimentos instalados em Pernambuco e na região. Esse é um importante passo para o fomento do segmento – por meio do mercado aberto – e para o meio ambiente, por ser um gás menos poluente. Com isso, Suape reforça os conceitos de sustentabilidade dentro e fora do porto”, ressaltou o diretor-presidente do Porto de Suape, Roberto Gusmão.

Cinco grupos nacionais e estrangeiras já entraram na disputa pelo terminal de gás natural liquefeito (GNL)

O processo licitatório para uso do CMU corre paralelamente às tratativas com os demais órgãos federais que regulam o setor, como a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), a Secretaria Nacional de Portos e o Ministério da Infraestrutura.

O edital foi publicado ontem (22) e a abertura das propostas está marcada para 22 de outubro. Os lances começam em R$ 700.530,35. Até o momento, cinco grupos nacionais e estrangeiras – Oncorp, New Fortress Energy (NFE), Compass Gás e Energia (Cosan), TotalEnergies e Sonne Energias Renováveis, mostraram interesse.

A exigência é que a adequação seja feita em, no máximo, 120 dias, o que permitiria a operação do novo terminal de GNL brasileiro no início do ano que vem.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes